Saltar para o conteúdo

As despesas de reparação continuam a aumentar

Voltar à página inicial

Continua a aumentar o custo médio das reparações de veículos novos e de ocasião, como se demonstra na  última análise da carteira de seguros da CarGarantie. Aqui se vê que o custo médio das reparações aumentou pelo 5º ano consecutivo.

O custo médio das reparações é de 572 euros
Enquanto em 2019 se gastava, em média, 551 euros por reparação, em 2020 esse valor aumentou para mais de 572 euros. Este aumento é semelhante ao registado entre os anos 2018 e 2019. Em total, a média das despesas de reparação mostra uma subida de cerca de 70 euros desde 2016. É possível que essa tendência se mantenha e que se verifique também um incremento dos custos nos próximos anos.

O motor continua a ser o componente mais caro
No que diz respeito ao montante da liquidação de reparações, acontece o mesmo que em 2019. Em veículos de ocasião, a reparação mais dispendiosa continua a ser a do motor, com 23,6 % (ano anterior: 23,74 %) que é claramente superior à do sistema de combustível (incluído o turbocompressor) com 18,8 % (ano anterior: 18,4 %) e à transmissão com 11,8 % (ano anterior: 12,1 %). A seguir, aparece o sistema elétrico em 4° lugar e o ar condicionado em 5°, com valores que permanecem quase inalterados.
A situação dos veículos novos é bastante similar: O motor continua a liderar a lista de avarias mais caras representando 21,4 % da quota, um valor similar ao do ano passado (21,5 %), seguido pelo sistema de combustível com 20,7 % (ano anterior: 20,1 %) e pelo sistema elétrico com 12 % (ano anterior: 11 %). A transmissão continua na 4ª posição, enquanto o sistema elétrico de conforto passa ao quinto lugar, à frente do sistema de ar condicionado, que em 2019 ocupava esse lugar.

Frequência de avarias sem alterações
A semelhança com o ano anterior também está presente na ordem da frequência de avarias. As proporções dos componentes quase não mudam, diferindo minimamente, tanto para veículos novos como de ocasião.
O sistema de combustível continua a ser o que mais se avaria em veículos de ocasião em 2020, representando 19,7 % (ano anterior: 19,5 %). Seguem-se o sistema elétrico com 18,3 % (ano anterior: 18 %) em 2º lugar e em 3º o motor com 10,7 % (ano anterior: 10,8 %).
O sistema de combustível em veículos novos também representa uma percentagem de 20,2 % das avarias (ano anterior: 20,1 %) e o sistema elétrico de 19,6 % (ano anterior: 18,7 %), ocupando o 1º e 2º lugares respetivamente. No entanto, ao contrário do que acontece no segmento dos veículos de ocasião, no segmento de veículos novos, em 2020 a 3ª posição não pertence ao motor, mas ao sistema elétrico de conforto, com uma quota inalterada de 10,7 %.

Momento da ocorrência das avarias em veículos de ocasião sem alterações
Apesar de ter havido pequenas alterações no momento em que ocorrem as avarias entre 2018 e 2019, os valores mantêm-se estáveis entre 2019 e 2020. 29 % (ano anterior: 29,6 %) das avarias em veículos de ocasião ocorreram durante os primeiros 5.000 km e 19,4 % depois dos 25.000 km (ano anterior: 18,37 %). Apenas quando analisamos a ocorrência de avarias por dias verificamos que existe um desvio ligeiramente maior: Enquanto em 2019 21,1 % das avarias ocorreram após 360 dias, em 2020 a percentagem foi de 22,9 %.

Ángel Mellado, Director da CarGarantie Espanha e Portugal
“Nos últimos cinco anos, o custo médio das reparações aumentou 15 %. Este acréscimo deveria ser um sinal evidente, quer para os proprietários de veículos quer para os concessionários, de que vale a pena proteger-se ante essas despesas.
Por esse motivo, a CarGarantie oferece inúmeros produtos que permitem proteger tanto clientes como concessionários contra despesas de reparação imprevistas. Dessa forma todos ganham: segurança, estabilidade financeira e confiança. O concessionário pode, assim, nos tempos que correm, garantir a fidelização dos seus clientes a longo prazo."

Imagem aberta em sobreposição